A GESTÃO FOCADA NA QUALIDADE: O PRINCÍPIO

Se as pessoas de juntam para produzir uma ação (e que isoladamente não conseguem fazer) provocam o nascimento de uma organização. E para que seja viável ou sustentável precisa de um princípio.
Se aquilo que levou o grupo de pessoas a constituírem-se numa equipa, num grupo organizado, está na missão a que se propõem de forma a atingirem a visão que tiveram.
Podemos dizer que são peregrinos que percorrem um caminho desconhecido que precisa de ser balizado na sua estrutura pois conhecemos o seu fim. E nem todos os caminhos serão possíveis, nem todos os espaços alcançáveis.
Então começa-se por definir as atividades principais e a estas associam-se as competências e responsabilidades dos que as vão executar. Assinala-se o evento e envolvem-se todos os elementos da organização, faz-se um esforço para não deixar nenhum colaborador ausente: estabelecem-se os processos e as funções e definem-se responsabilidades. E a todos se exige a tomada de consciência do modelo.
E agora poderemos pensar na qualidade.

E para tal começa-se por avaliar os resultados, analisando as atividades que correm de modo ineficiente. E o processo começa por caracterizar de forma periódica a evolução de alguns dos indicadores, por exemplo, medidas de defeitos em produtos.
Que temos no fim: uma organização, com um princípio de gestão focada na qualidade.
E para que objectivo?

A resposta óbvia: a melhoria continua.

Não é só uma consequência, é um facto decorrente de uma causa com valores.
Este é o princípio que a FOSTER quer construir com os seus clientes e amigos, garantir uma organização sustentada baseada em processos funcionais voltados para garantir a qualidade dos serviços e dos produtos.

Paulo Sousa
FostInc, Jun 2013